Aos treze será o filme do Cineclube CRP14/MS em outubro | Conselho Regional de Psicologia CRP14/MS
Receba nossas informações
  ENVIAR
HOME > COMUNICAÇÃO > NOTÍCIAS > Aos treze será o filme do Cineclube CRP14/MS em outubro
14/10/2016 | 15h:28

Aos treze será o filme do Cineclube CRP14/MS em outubro

O cineclube de outubro do Conselho Psicologia de Mato Grosso do Sul (CRP14/MS) vai discutir sobre a adolescência na sociedade atual. A sessão será realizada na UCDB Centro, às 14h, no dia 29 de outubro de 2016, com a exibição do filme “Aos Trezes”. A participação é gratuita mediante inscrição pelo site: https://goo.gl/5RG8Uq 

A proposta desse cineclube é pensar a construção do indivíduo a partir da sociedade contemporânea e os desdobramentos da sua identidade, bem como a construção da sociedade por meio destes indivíduos.  Para isso, foram convidados alguns especialistas na área para abordarem o tema após a exibição do filme.

Confira a sinopse do longa-metragem:

“Aos Treze” é um filme de drama lançado em 2003 que conta com história de Tracy, uma garota de treze anos, boa aluna e boa filha. Ao entrar no colegial ela se depara com a jovem Evie, a garota mais popular da escola, sempre com roupas de fazer inveja às outras garotas. Tracy passa a ver que é a vida de Evie que ela quer e decide fazer parte do seu grupinho.

Quando Tracy consegue, enfim, ser levada a sério por Evie, ela se deixa influenciar tanto que, num piscar de olhos, está roubando em lojas, traficando e usando drogas, e tendo todo tipo de comportamento irresponsável com os meninos, de sua idade ou mais velhos. Evie acaba até se mudando para a casa de Tracy! E, no meio desse turbilhão, a vida da jovem acaba chegando em um nível insurpotável.

Se é verdade que a história de Tracy não é o padrão para os adolescentes, também é verdade que não é tão rara assim. Prova disso é a própria Nikki Reed, que interpreta Evie e escreveu o roteiro, inspirado na sua própria história. No filme, ela é o mau exemplo; na vida real, foi a garota que se deixou levar por ele. A diretora Catherine Hardwicke descobriu a história quando namorava o pai de Nikki e sugeriu que ela escrevesse um diário. 

Tag3 - Desenvolvimento Digital